2.3.05


UE lança segunda campanha de combate ao fumo

01/03/05 - do MSN - Por Jeremy Smith

BRUXELAS, Bélgica (Reuters) - O chefe da área de saúde da União Européia (UE), Markos Kyprianou, divulgou na terça-feira um plano de combate ao fumo em toda a região.

O plano pretende diminuir o número de mortes (centenas de milhares todos os anos) atribuídas ao consumo de tabaco.

"Eu fico incomodado, fico nervoso com o fato de a causa única de tantas doenças continuar presente", afirmou o comissário da UE para a Proteção da Saúde e dos Consumidores dois dias depois de um tratado de combate ao fumo ter entrado em vigor.

"O alvo dessa campanha serão os jovens. Sabemos que eles são o alvo das indústrias de cigarro", disse. "A média de idade com que começam a fumar na UE baixou para 13 anos. Essa é uma tendência muito preocupante."

A campanha, chamada "HELP - For a life without tobacco" (socorro - por uma vida sem tabaco), é a segunda realizada pela UE e deve gastar o equivalente a 95,13 milhões de dólares até 2008. A primeira campanha terminou em dezembro e durou três anos.

Kyprianou, que é um ex-fumante, disse não haver maior mal a ser combatido que o cigarro e que gostaria de ver os países da UE decretarem a proibição de fumar em lugares públicos. Até agora, o comissário não propôs uma medida semelhante que valeria para todo o bloco.

Mais de 650 mil europeus morrem todo ano devido a males provocados pelo cigarro, custando aos governos da UE cerca de 100 bilhões de euros", afirmou Kyprianou.

A campanha de combate ao fumo rodará pelas capitais dos 25 países-membro e terá anúncios de TV a partir de maio.

Nos últimos anos, a UE adotou várias medidas legais para controlar o consumo de tabaco. A partir de julho, todos os anúncios de cigarro nos rádios, na Internet e nos meios de comunicação impressos serão proibidos no bloco. Nas TVs, tais anúncios não aparecem desde 1989.

Desde 2003, as leis do bloco exigem que os produtos feitos com tabaco contenham anúncios bem visíveis sobre os males provocados à saúde e proíbem designações como "light".
Ex-Fumante às 1:09 AM
Clique aqui e comente

1.2.05


Dica: Quer parar? Então não compre mais maços de cigarro

O vício de fumar compreende uma série de atitudes, que vai desde o ato de comprar a carteira de cigarros na padaria, passando pelo acender do cigarro e levá-lo à boca para a primeira baforada, até o último trago, finalizando com um arremesso de bituca na rua ou amassando a quimba no cinzeiro.

Mentalmente, o fumante que deseja largar o vício deve visualizar todas estas etapas e eliminá-las de sua mente. Você precisa bloquear todas estas ações e todas estas sensações.

Pois bem, a dica de hoje é: não compre mais carteiras de cigarros. Vejo que muitos fumantes que estão tentando parar têm a famosa recaída depois que compram uma carteira de cigarros. O problema é que, depois de alguns dias sem fumar, o indivíduo sente tanta falta da droga que acaba fumando o maço todo numa só noite regada a cerveja.

A dica, para evitar recaídas, é combinar com algum colega seu que seja fumante para que ele lhe ceda apenas um cigarro, caso você não consiga aguentar a vontade.

Eu sei que muitos acharão que isto não resolve o problema do vício (até eu acho que "apenas um cigarro" não resolve), mas pelo menos o viciado tem a chance de se recuperar de apenas um cigarro e não de um maço. Neste caso, se bater o arrependimento de ter fumado e jogado fora os dias de luta, não haverá a tentação dos 19 cigarros restantes da carteira, esperando para serem fumados.
Ex-Fumante às 11:14 AM
Clique aqui e comente

10.1.05


O temível reencontro com o cigarro

Todos devem saber que o cigarro causa dependência física e psicológica. Após uma semana sem fumar, é possível dizer que o corpo está livre da nicotina na corrente sanguínea. Porém, a dependência psicológica é a mais difícil de superar e pode acompanhar um ex-fumante durante o resto de sua vida.

Após mais de dois anos sem fumar eu ainda sentia vontades de dar algumas tragadas em alguns momentos específicos. Após um almoço ou durante uma cervejada com os amigos eram momentos bastante difíceis de se superar, e eu precisava fazer um intenso jogo mental para que os pensamentos e vontades fossem extinguidos. E sempre consegui me manter limpo e "resistir à tentação".

Por outro lado, eu sempre tive curiosidade de voltar a experimentar um cigarro e saber se existe a "recaída fatal", aonde os ex-fumantes, após fumar apenas um cigarro depois de muito tempo, voltam ao vício da mesma forma como era antigamente. Tinha vontade de me testar, mas tinha medo de que eu caisse numa armadilha e voltasse a fumar novamente.

Pois neste reveillon o teste foi feito. Mesmo após 2 anos sem cigarro eu ainda tinha vontade de fumar e resolvi correr o risco. Pensei muito sobre os prós e contras, sobre os perigos de voltar a ter contato com o cigarro, sobre a hipótese de voltar a fumar novamente. Acabei definindo que eu fumaria alguns cigarros somente naquela noite, e custasse o que custar eu me manteria longe do cigarro no dia seguinte. E foi o que aconteceu.

A experiência me fez tirar novas conclusões, que gostaria de compartilhar com vocês:

- Eu não aconselho que ninguém faça o que eu fiz. As dificuldades e reações podem ser diferentes para cada tipo de pessoa.

- Apesar de tanto tempo longe do cigarro, voltar a fumar é muito fácil. Basta querer, ou basta se permitir.

- Depois de tanto tempo sem fumar, o primeiro cigarro volta a causar tontura. E você consegue perceber a aceleração cardíaca e ter uma grande sensação de prazer. Misturado com o álcool, as duas drogas são muito prazerosas.

- A ressaca do cigarro no dia seguinte foi tenebrosa. Pigarro dominando a garganta, aquela sensação de estar intoxicado. Isto sem falar no cheiro horroroso nas roupas, mãos e cabelos. E um pouco de tosse.

- Acho que eu estava determinado o bastante para que aquilo fosse apenas uma experiência, que duraria só aquela noite. Mas devo admitir que, no dia seguinte, os pensamentos em fumar novamente um cigarro voltam com uma força incrível. Pra quem já parou de fumar, é comparável ao segundo mês sem o cigarro, quando ainda lembramos de como é fumar e precisamos conviver com as vontades - que já podem ser controladas e passam rápido.

- Nada aconteceu ao meu condicionamento físico, reconquistado depois de muito exercício e suor. Mas é sensível que os pulmões sofrem a ação da fumaça e do monóxido de carbono.

- A sensação de prazer é muito relativa e traiçoeira. Fumar durante um momento alegre traz prazer sim. Geralmente, passamos a fumar justamente em situações prazerosas, e passamos a associar o cigarro a prazer. Depois de viciado, passamos a fumar mecanicamente e a sensação de prazer praticamente some. E é aí que o cigarro lhe trai: a nicotina, que antes lhe dava prazer, passa a causar dependência e exige que você fume em períodos cada vez mais curtos. E aí você percebe que o cigarro deixou de lhe fornercer prazer para lhe trazer problemas.

A minha dica, depois desta experiência, é: se você pensa que "fumar apenas um cigarro" após um longo período sem fumar é uma atitude isenta de perigo, pode esquecer. Voltar a fumar, mesmo que seja alguns cigarros e somente durante uma noite, faz com que reativemos todos os mecanismos de prazer em nosso cérebro que estavam guardados na memória. Você reacende a vontade, e você novamente cruza a linha delimitadora entre a saúde e o vício.

Esta experiência me fez ter certeza de que um ex-fumante será um potencial fumante pelo resto da vida.
Ex-Fumante às 1:11 PM
Clique aqui e comente

17.12.04


Butão se torna o primeiro país do mundo a proibir o fumo
Notícias Uol / Reuters

O reino do Butão, encravado no Himalaia, proibiu na sexta-feira a venda de tabaco e o consumo de cigarros em público. É o primeiro país do mundo a tomar tal decisão. Em julho, o Parlamento desse país fechado, predominantemente budista, aprovou uma lei que previa restrições ao fumo.

"A proibição total da venda e do consumo de tabaco foi imposta no país a partir de 17 de dezembro", disse Lily Wangchuz, porta-voz da embaixada do país em Nova Délhi. "É para o bem-estar do povo, para proteger o meio ambiente e preservar nossa cultura."

Quem não conseguir se livrar do vício poderá importar cigarros para consumo próprio, mas com uma taxa de cem por cento. Mesmo assim, só poderão fumar na privacidade de seus lares.

Lojas que desafiarem a proibição receberão multas de pelo menos 225 dólares, um valor elevado para os padrões locais. Reincidentes podem ter seus estabelecimentos fechados.

As autoridades do Butão estimam que apenas 1 por cento dos 700 mil habitantes fume. Os prejuízos financeiros com a proibição ainda não são conhecidos.

"Agora terei de pagar mais para fumar. Vai se tornar um luxo", disse Prem Dorji, morador da cidade. "As pessoas comuns serão as mais atingidas, porque não conseguirão abandonar o hábito facilmente e serão obrigadas a pagar preços exorbitantes."
Ex-Fumante às 11:45 AM
Clique aqui e comente

25.11.04


Tabaco é droga mais consumida por jovens no Brasil

Uma pesquisa nacional revela que o cigarro (tabaco) é a droga mais consumida no País por crianças e adolescentes entre 10 e 18 anos de idade. Segundo o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) da Universidade Federal de São Paulo, 44,5% dos jovens consomem tabaco. A pesquisa foi realizada a pedido da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) e ouviu 2.807 pessoas nos 27 Estados do País.

Fonte: Terra
Ex-Fumante às 2:21 AM
Clique aqui e comente

14.10.04


Mais depoimentos deixados nos comments. Continue mandando os seus. Sinto informar que o domínio fumarnuncamais.com.br está temporariamente fora do ar, deixando de funcionar o email e o teste.



Ainda vou achar uma explicação animal para desvendar por que os homens se penduram no cigarro!!!!
A Profeta

Profeta, quem foi que disse que só o homem se vicia?



Eu simplesmenete odeio de toda a minha alma o cigarro, se algum dia for autoridade eu juro que acabo com esse mal nem que seja na base da pena de morte!!! Devido a essa droga maldita ja se foram meu padrinho, meu avô, a secretária daqui e minha tia tá no caminho com uma bela efisema pulmonar e tosse de cachorro.
Matheus

Matheus, acho que o radicalismo não é maneira correta de se enfrentar o cigarro. E pena de morte também não adianta. Pense: fumar é praticamente um suicídio, em que o fumante não acredita que o ato tabagista irá lhe causar algum mal. E infelizmente, assim como seu padrinho e avô, os fumantes só descobrem todo o mal causado pelo cigarro quando estão doentes. Você, que nunca fumou, precisa saber que essa droga causa muita dependência, e não é à força que os fumantes deixarão de fumar.

Mas, de certa forma, acredito que a facilidade com que se tem acesso ao cigarro devido ao baixo preço dos maços é grande incentivadora do vício. E entendo que é estranho que um governo permita a indústria tabagista a comercializar uma droga que cause tanta dependência. Mas de quem é a culpa? Do vendedor da droga ou do consumidor da droga que se permitiu consumi-la?



Depois de 30 anos fumando, e ultimamente quase dois maços por dia, parei de fumar á 6 meses por vontade própria. Realmente eu não quero voltar a fumar, tenho nojo do cheiro do cigarro, só que estou muito triste pois já engordei 8 quilos,eu não quero engordar mais. Se eu engordar mais, vou voltar a fumar, a não ser que alguém me ajude, se tem alguma medicação que possa me ajudar.
Sonia Regina Rodrigues

Sonia, eu fumei por 9 anos e larguei o cigarro há mais de 2 anos. Saí dos 71 kg e cheguei aos 78,5 kg há um mês e meio. Engordei 7,5 kg por causa do cigarro. A solução teve que ser radical: passei a fazer exercícios 5 vezes por semana e estou me reeducando com a alimentação. Deu certo: ontem me pesei e estou com 70,8 kg. A barriga ainda não está "um tanquinho", mas já estou muito satisfeito com minha nova forma. Não precisei usar nenhuma droga para compensar outra droga.

Percebo que todos que deixam o cigarro engordam. Acredito que o cigarro, que contém nicotina, uma droga estimulante, faz com que o nosso organismo passe a trabalhar em um ritmo mais acelerado. Nossa pulsação aumenta, o metabolismo fica mais veloz. Quando ficamos sem o cigarro, o metabolismo entra em colapso sem a droga e tenta se reajustar. O resultado é o acúmulo de gordura. E pra piorar, sem o cigarro, temos constantes vontades de comer, principalmente doces.

A dica: ao invés de uma barra de chocolate, coma meio tablete. Ao invés de arroz, coma alface. Ao invés de banana split, tente uma pequena bola de sorvete sem cobertura. Ao invés de coca-cola, suco. A idéia é tentar não perder o prazer de comer, mas equilibrar sua alimentação com o metabolismo de uma pessoa normal e não fumante. Aconselho você a procurar um médico para auxilia-la na perda de peso.


Mais depoimentos serão comentados em breve. Aguarde!

Ex-Fumante às 12:02 PM
Clique aqui e comente

29.9.04


Só agora vi que o Fumar Nunca Mais saiu novamente no Blog Of Notes. Obrigado pela força, Bloggerman! E seja bem vindo, internauta!

Aproveitando a ocasião, vamos ler alguns depoimentos deixados nos comments:



Parei de fumar há cerca de 21 dias, depois que meu pai morreu de câncer de pulmão e sinto sempre vontade de acender um cigarro. Um amigo meu que não fuma há 8 anos comentou comigo que o tabagista é como o alcoólatra que a cada dia sem fumar/beber comemora mais uma vitória. A luta é diária. Espero continuar comemorando vitórias até o fim dos meus dias.
Bruno

Bruno... sinto muito pelo seu pai. Parece que nós só acreditamos que o cigarro nos faz mal quando ele realmente nos faz mal. E não adianta nos enganarmos, pois sabemos das conseqüências do fumo em nossa saúde e não tomamos nenhuma atitude para mudar o rumo da vida. A verdade é clara: ou você para de fumar para sempre, ou você sempre correrá o risco. E é quase certo que você viverá menos do que se não tivesse o hábito de fumar. Bruno, boa notícia: você já é um vitorioso, pois já passou pelo pior. As primeiras semanas sem o cigarro são terríveis, mas depois do primeiro mês as coisas vão melhorando. Mas não se descuide! Apenas um cigarro pode acabar com o seu progresso de quase um mês! Siga em frente! Você já passou pelo pior! Abraço!



Sempre me perguntei sobre a validade das campanhas contra o fumo. A bem da verdade, acho um trabalho ótimo o que vocês fazem aqui neste blog - embora eu mesmo seja fumante e não, ao contrário de muitas pessoas não quero parar de fumar, talvez diminuir o consumo quem sabe, ainda que eu saiba todos os males que ele causa.
Guto

Guto, eu também me perguntava sobre a eficiência destas campanhas. Eu queria parar de fumar, mas a infantilidade com que o governo trata o assunto só me fazia adiar a decisão. Quer testar? Tente ligar naquele número de apoio aos fumantes, que é publicado em todos os maços de cigarro. Não conheci ninguém que tenha conseguido completar a ligação. E por isso, quando tomei coragem, inaugurei o blog. A proposta não é ser anti-tabagista, mas mostrar a realidade do fumo na vida das pessoas e, principalmente, mostrar que é dificílimo parar de fumar, mas não impossível. Eu ainda me lembro e sei que fumar dá muito prazer, e não nego isto. Não quero enganar ninguém. Cigarro é muito bom, mas também é muito ruim. Quando você enxergar mais lados ruins no cigarro, volte a ler este blog. Talvez o ajude. Abração.



Todos os dias leio os depoimentos do pessoal. Acho bem legal pois a luta de cada um para parar de fumar é muito grande e acho que as pessoas que escrevem são pessoas que realmente querem parar de fumar, assim como eu quero. E este blog esta me ajudando muito para isto, vejo que não sou só eu quem está sofrendo para largar o vicio tem muita gente como eu tentando. E com certeza, daqui a alguns anos, vamos poder contar nossas historias de como conseguimos parar de fumar e ajudar as pessoas que estão em sua escalada inicial para ser um ex-fumante. Parabéns e obrigada pela força, pois sozinha é muito difícil.
Tania e Vania Seixas

Obrigado, Tania e Vania. Eu sei que é muito difícil parar de fumar, e quando não conseguimos apoio fica ainda pior. Eu consegui parar sem nenhum apoio, e com todos em minha volta fumando. Meu objetivo, além de minha própria saúde, era fazer com que minha mãe parasse de fumar, pois sua tosse vinha se agravando a cada dia e eu sabia que tinha que incentivá-la a abandonar o fumo. Mas como, se eu também fumava? Resolvi inverter o papel e decidi dar o exemplo para a minha própria mãe. E não é que deu certo? A minha intenção com este blog é a mesma: dar o exemplo e mostrar a todos que é possível parar de fumar. É difícil, mas não é impossível. Abraços!


Ainda nesta semana publico mais depoimentos, ok?

Ah! O Fumar Nunca Mais tem sua comunidade no Orkut. Passe por lá!
Ex-Fumante às 10:35 AM
Clique aqui e comente

19.8.04




nos comments

Prezado Daniel,

Por favor poste alguma coisa nova. Tem 1 ano exato que não fumo e estou acometida de uma crise de vontade insuportável. Fico pensando em uma carteira de Malboro: vermelha, cheirosa, cheia de elegantes tubinhos brancos e filtros escuros. Assim como a crise dos sete anos que acomete as relações amorosas, deve tambem existir a crise de 1 ano de separação do tabaco. Não vou entrar nessa. Fico imaginando comprar 1 carteira e fumar todinha, tragando e jogando fumaça para cima. Ficando cada vez mais contente e concentrada. Delírios de uma quase ex-fumante! Deve ser por isso que só se considera ex-fumante depois de 10 (?) anos livre de tabaco.



Prezada Rosa,

Você não é a única neste mundo a sentir isto que você descreveu. Eu também tive uma crise das brabas após um ano sem fumar, e aposto que muitos ex-fumantes também passaram por isto. É normal.

Anormal é entender que uma vez fumantes, carregaremos esta "propensão ao vício" para sempre. Para voltar a fumar e jogar fora toda a sua luta, basta acender um cigarro. Um único. Você vai se lembrar de todas as delícias de fumar e o vício vai falar mais alto. Seu cérebro vai funcionar contra qualquer vontade sua, em busca de uma tragada de nicotina e prazer.

Hoje, felizmente, acho que mantenho meu vício sob controle. Passei a ter nojo do cheiro adocicado e rançoroso do cigarro, e apesar de ainda me lembrar que fumar é muito bom, não tenho coragem de voltar a fumar, nem por brincadeira. Acho que, desta forma, consigo controlar muito bem as vontades - que praticamente sumiram de minha vida.

Olhe para trás e veja o quanto você evoluiu. Acender um cigarro nesta altura do campeonato significa jogar fora toda a sua luta contra o vício. Lembre-se disso, e continue olhando para o futuro.

Abração.
Ex-Fumante às 10:08 PM
Clique aqui e comente

9.8.04


Excelente reportagem publicada hoje na Folha de SP


Trinta famílias de Santa Cruz do Sul (RS), epicentro da indústria do cigarro no país, buscam vida sem agrotóxico
Agricultor troca fumo por horta ecológica
MARIO CESAR CARVALHO
ENVIADO ESPECIAL A SANTA CRUZ DO SUL (RS)


"Não quero mais produzir veneno com veneno". O agricultor Maiquel André Kloh diz isso não com a fúria dos panfletários, mas com um sorriso de quem descobriu uma alternativa de vida.
O primeiro veneno da frase é modo como Maiquel, 23, chama o fumo, que seu pai, Lauro, 50, cultiva há 42 anos.
O segundo são os agrotóxicos usados nesse tipo de lavoura. "Este é o último ano em que planto fumo. Só vou plantar coisas que vão para a mesa. E sem agrotóxico", avisa o agricultor.
Os Kloh integram um grupo de 30 famílias de produtores que já trocou ou está trocando o fumo por hortas onde não entram agrotóxicos -30 mil famílias vivem dessa cultura na região. Os motivos da troca envolvem ética, preocupações ambientais e sociais:
1- Não querem produzir algo que faça mal à saúde do consumidor e do produtor, como dizem;
2- Não querem degradar o solo com agrotóxicos e com a monocultura;
3- E não querem que o agricultor fique à mercê de um só cultivo e de um só comprador.
"A nossa idéia é mudar a escala de valores do agricultor", afirma o engenheiro agrônomo Sighard Hermany, 52, coordenador do Capa (Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor) em Santa Cruz do Sul (Rio Grande do Sul), entidade ligada à igreja luterana.
A cidade, a 155 km de Porto Alegre, é o epicentro da indústria do cigarro no país e abriga o maior complexo de beneficiamento de fumo do mundo, da Souza Cruz. O Vale do Rio Pardo, onde fica a cidade de Santa Cruz, é responsável por um quinto do fumo produzido no Brasil.

Rentabilidade
O economista Marco Antonio Vargas, 38, professor da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) que pesquisa a economia do tabaco, considera a experiência de Santa Cruz a mais importante do país no gênero.
"Os agricultores conseguiram mostrar que é possível encontrar alternativas ao fumo no maior pólo da indústria do cigarro. Há dez anos isso seria impensável", afirma o professor da UFRJ.
Vargas prepara para a OMS (Organização Mundial da Saúde) um estudo sobre os resultados de Santa Cruz.
A OMS tem interesse por essa experiência por causa da Convenção-Quadro. Esse acordo, aprovado por 193 países no ano passado com o objetivo de reduzir o tabagismo, prevê a substituição do fumo por outros cultivos para diminuir a oferta de cigarros.
A dúvida que persegue toda experiência de alternativa ao fumo é uma só: será que dá para manter os ganhos com outra plantação? O fumo é uma das culturas mais rentáveis do país, segundo a Afubra (Associação dos Fumicultores do Brasil), entidade que reúne os produtores: um hectare rende R$ 7.275 ao ano, enquanto milho e feijão propiciam ganhos de R$ 1.130 e R$ 810, respectivamente.
Daí a sensação entre agricultores de que o fumo é um caminho sem saída. "Aqui no Sul não tem nenhuma cultura com uma rentabilidade maior do que o fumo", diz Claudino Francisco Vaz, 53, que diz ter começado a trabalhar com essa cultura aos sete anos.

Ganhos sem fumo
A experiência de Santa Cruz mostra que esse axioma nem sempre é verdadeiro. A produção de hortifrutigranjeiros sem agrotóxicos pode garantir até uma renda maior, segundo Hermany.
A história da cidade talvez ajude a entender o sucesso. A maioria dos agricultores são netos ou filhos de alemães. Falam tanto a língua de seus ancestrais que concordam dizendo "ja" (sim) e se despedem com "auf Wiedersehen" (até logo).
A obsessão da Alemanha pela produção de alimentos sem agrotóxicos não é algo distante ali -a igreja luterana funciona como uma ponte entre os dois países.
O casal Clécio e Lore Maria Stüp Weber, 45, que produz verduras e geléias, estima ganhar R$ 1.700 líquidos por mês. O ganho mensal do fumo por hectare, calculado a partir da estimativa da associação dos produtores, é de R$ 606.
A produção dos Weber é vendida pelas duas lojas da cooperativa que o grupo criou (a Ecovale, da qual participam 80 famílias) e em 14 feiras que esses produtores realizam toda semana na região.
O trabalho em grupo e a organização estão no cerne da experiência, segundo Hermany. "Individualmente, os produtores ecológicos não conseguiram sobreviver porque não haveria escala. A cooperativa e a organização fazem parte da lógica ecológica."
A maior dificuldade para mudar de cultura é que a safra do fumo tem compra garantida. Por isso, a saída é planejada. "A minha idéia é deixar o fumo em cinco anos", diz Marcos Hinterholz, 35. Quer trocar de cultivo para não conviver com agrotóxicos e porque não consegue contratar ninguém para ajudá-lo: "Não existe mais mão-de-obra aqui".
Com as novas plantações, há também ganhos imponderáveis. O maior deles, de acordo com o agrônomo Jaime Weber, 42, é o conhecimento que os produtores passam a ter com a produção diversificada.

Erosão cultural
"A cultura do fumo causou uma erosão cultural nos agricultores. Eles recebem um pacote pronto das empresas do fumo e desaprendem tudo. Não sabem produzir sementes nem época das safras", afirma o agrônomo.
Quando param de produzir fumo, têm de receber assessoria do Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor para reaprender o que seus pais já haviam ensinado, mas se perdeu com a monocultura.

Ex-Fumante às 12:23 PM
Clique aqui e comente

31.7.04


Boa idéia!


Ex-Fumante às 1:49 PM
Clique aqui e comente

26.7.04


Notícia encontrada no Jornal do Brasil de hoje

Justiça do Rio nega indenização a ex-fumante

O juiz Rossidélio Lopes da Fonte, da 7ª Vara Cível do Rio de Janeiro, negou pedido de indenização por danos morais e materiais no valor de 900 salários mínimos ao ex-fumante Manoel Lima Nascimento, que afirmou ter desenvolvido doença grave em decorrência do consumo de cigarros por 49 anos.
O juiz afirmou que a fabricação e a comercialização de cigarros são atividades lícitas. Além disso, o juiz também declarou que "não se vislumbra o nexo de causalidade entre o vício do tabagismo do autor e as diversas enfermidades apresentadas".

Nos últimos meses, o Judiciário do Rio de Janeiro julgou improcedente outras duas ações movidas por ex-fumantes e famílias de ex-fumantes. Em ambos os processos, os juízes entenderam que a decisão de fumar é fruto do livre arbítrio e, portanto, a responsabilidade decorrente deste fato é do próprio consumidor, não podendo ser transferida para a fabricante.
Ex-Fumante às 12:01 PM
Clique aqui e comente

20.7.04


ORKUT

Pra quem já aderiu a mais nova mania da internet, o Orkut, pode anotar aí a comunidade Fumar? Nunca mais!

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=187299

Espero o seu "join". Vamos ver o que acontece.
Ex-Fumante às 2:57 PM
Clique aqui e comente


RETOMANDO

Depois de um tempinho "out", voltei. Estou respondendo aos emails atrasados, colocando a casa em ordem e voltando a publicar depoimentos.
Ex-Fumante às 2:54 PM
Clique aqui e comente

7.7.04


SEMANAS DIFÍCEIS

As últimas semanas foram um tanto quanto difíceis para mim, e este é o motivo pelo qual não venho atualizando o blog. É que acabei acompanhando a morte de duas pessoas bastante próximas, e em ambas o cigarro contribuiu decisivamente para este final.

A tia Sú, tia de minha namorada, faleceu com pouco mais de 50 anos, após o seu terceiro enfarte, que acabou sendo fulminante. Mesmo após sair do hospital após o segundo enfarte, ela não conseguiu se livrar do cigarro, mesmo com o alerta dos médicos. O resultado foi previsível, e seis meses depois ela sofreu o enfarte derradeiro. Seu coração e suas veias frágeis não suportaram tantos anos de fumo.

O meu tio Domingos havia parado de fumar há uns 6 anos, e engordou muito depois disso. Pra lá dos 70 anos, acabou tendo um derrame que foi contornado. E um mês depois acabou tendo outro, fatal. Contribuiram para a sua morte o cigarro (claro), alta ingestão de gordura animal e colesterol alto.

Nos dois casos, a presença decisiva do cigarro. Os anti-tabagistas levantarão suas bandeiras, e os fumantes convictos dirão que não passam de coincidências. Eu prefiro não correr o risco e manter-me longe do fumo.
Ex-Fumante às 10:01 AM
Clique aqui e comente
Coloque um botão da campanha em seu blog e entre
pra valer na guerra contra o cigarro!
Clique, copie o código e cole em seu template.


stats Powered By Blogger TM Weblog Commenting by HaloScan.com

Fumar? Nunca Mais! no ORKUT